Os Quatro Compromissos Toltecas

 O livro “Os Quatro Compromissos – o Livro da Filosofia Tolteca“, do autor mexicano Don Miguel Ruiz, tem o poder de mudar paradigmas pessoais e de trazer uma nova atitude que expande a consciência. Eu tenho ele a muitos anos e de tempos em tempos releio. Toda mudança nasce na consciência. A última vez que o li estava no Vale Sagrado do Peru e foi muito forte o que brotou a partir dessa releitura em meio a energia surreal do local.

Baseado numa cosmologia conhecida, que entende o mundo como um grande sonho humano criado pela mente, o livro da Filosofia Tolteca (referente a uma civilização que teria vivido há milhares de anos nas cidades mexicanas de Teotihuacan e Tula) busca desfazer o engano dos compromissos mundanos que advém do medo, e propõe quatro compromissos que nos levariam à percepção da verdade, das ilusões e do destino pessoal correto em nossas vidas. Os compromissos são “combinados” de nós para nós mesmos, que tem o poder de nos fazer gradualmente readquirir as energias que perdemos nos esforços para compensar equivocados medos e assim desfrutar e viver em alegria e realização.

Eu sou apaixonada por cada detalhe que descubro da filosofia tolteca! Há centenas de anos eles utilizavam o cacau medicinal em cerimônias e celebrações. Conheci o México e me apaixonei, a cultura, as cores, os sabores, tudo ressoou muito forte na minha alma. Bom vamos aos compromissos simples porém capazes de revolucionar a nossa vida:

O PRIMEIRO COMPROMISSO
Seja impecável com sua palavra

“O primeiro compromisso é o mais importante e também o mais difícil de cumprir. É tão importante que apenas com esse primeiro compromisso você será capaz de transcender ao nível de existência que chamo de céu na Terra. O primeiro compromisso é ser impecável com sua palavra.

O SEGUNDO COMPROMISSO
Não leve nada para o lado pessoal

“Os três compromissos seguintes na verdade se originam do primeiro. O segundo compromisso é: não leve nada para o lado pessoal. O que quer que aconteça com você, não tome como pessoal. Se o vejo na rua e digo: “Você é um estúpido”, sem conhecê-lo, não estou falando de você, estou falando de mim. Se você levar parao lado pessoal, talvez acredite que é estúpido. Talvez possa dizer para si mesmo: Como ele sabe? Será clarividente ou todos percebem que sou estúpido?”. Você leva tudo para o lado pessoal porque concorda com o que está sendo dito. Assim que concorda, o veneno passa através de você e o prende no sonho do inferno. O que causa a sua própria captura é o que chamamos de importância pessoal. Importância pessoal, ou levar as coisas para o lado pessoal, é a expressão máxima do egoísmo porque cometemos a presunção de achar que tudo é sobre "nós".

O TERCEIRO COMPROMISSO
Não tire conclusões 

“O terceiro compromisso é não tire conclusões. Nós temos a tendência para tirar conclusões sobre tudo. Presumir. O problema com as conclusões é que acreditamos que elas são verdadeiras. Poderíamos jurar que são reais. Tiramos conclusões sobre o que os outros estão fazendo e pensando – levamos para o lado pessoal-, então os culpamos e reagimos enviando veneno emocional com nossa palavra. Por isso sempre que fazemos presunções estamos pedindo problemas. Tiramos uma conclusão entendemos errado, levamos isso para o lado pessoal e acabamos criando um grande drama do nada. Toda tristeza e drama que você passou em sua vida foram causados por tirar conclusões e levar as coisas para o lado pessoal. Pare um instante para examinar essa afirmativa. Toda a teia de controle entre seres humanos é sobre tirar conclusões e levar as coisas para o lado pessoal. Todo o nosso sonho de inferno é baseado nisso.

O QUARTO COMPROMISSO
Sempre dê o melhor de si 

“Existe apenas mais um compromisso, porém é o que permite que os outros três se tomem hábitos profundamente enraizados. O quarto compromisso se refere à ação dos outros três: Sempre dê o melhor de si. Sob qualquer circunstância, semprefaça o melhor possível, nem mais nem menos. Porém, tenha em mente que o seu melhor nunca será o mesmo de um instante para outro. Tudo está vivo e mudando o tempo todo; portanto, fazer o melhor algumas vezes pode produzir alta qualidade e outras ‘vezes não vai ser tão bom. Quando você acorda, descansado e energizado, de manhã, o seu “melhor” tem mais qualidade do que quando você está cansado, à noite. Seu “melhor” possui mais qualidade quando você está saudável do que quando doente, ou sóbrio em contraposição a bêbado. Seu “melhor” vai depender de você estar se sentindo maravilhosamente feliz ou aborrecido, zangado ou ciumento. Nos diferentes estados de espírito do dia, seu humor pode mudar de um instante para outro, de uma hora para outra ou de um dia para outro. Seu “melhor” tambémirá se alterar ao longo do tempo. À medida que você se habitua aos quatro compromissos, seu “melhor” irá se tornar mais e mais eficiente. Independente da qualidade, continue dando o melhor de si, nem mais nem menos.”

Leia o livro aqui

Comments are closed.